segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Mesada, Salário, Heranças

Eu quero fugir, mesmo, e agora
Não quero mais ouvir a voz de uma consciência
Tão conservadora
Tão fechada
Que em nada é minha
Que em nada mereço
Pois não a escolhi apenas herdei
Não quero mais o tom de ameaça 
E dependência económica
Para que algo eu faça
Com a mesma eficiência
De o mudar de canal da televisão

Sem comentários:

Enviar um comentário